Sim, eu sei, você entrou aqui incrédulo e chocado, e eu compartilho da sensação contigo, mas um estudo da Imperial College de Londres mostrou que as pessoas que tomam a psilocibina (o ingrediente ativo do ‘cogumelo mágico’) tornam-se menos autoritárias, enquanto aumentam seu senso de conexão com a natureza.

A partir disso, a relação entre o autoritarismo se dá à medida em que um indivíduo se sente conectado aos outros e para de tentar impor asua vontade.

Os autores sugerem que a psilocibina produz mudanças políticas, tornando as pessoas mais propensas ao antiautoritarismo – algo que vimos de certa forma no movimento hippie.

Obviamente, os cogumelos não devem ser ingeridos antes de fazer um discurso ou de uma tomada de decisão que exija capacidade de comando, mas para criar uma consciência suave, capaz de identificar que tudo é uma coisa só.

No caso de um ditador ou um déspota é altamente provável que essas substâncias poderiam ajudar a dar-lhe alguma perspectiva, especialmente porque tem sido demonstrado que os psicodélicos funcionam de tal forma que eles reduzem o sentimento do ego, dissolvendo-o.

Por outro lado, a noção de que a sociedade se beneficiaria se todos tomassem drogas psicodélicas, que foram arrastadas por pessoas como Tim Leary nos anos 60, não parece levar a lugar nenhum – ou pelo menos a qualquer lado estável e concreto capaz de transformar verdadeiramente a sociedade.

A revolução precisa da água da organização e do sol da liderança para realmente crescer e se materializar em algo significativo. Mas talvez o mundo seria diferente se alguns governantes pensassem menos em poder e mais em “expandir a consciência”.


Also published on Medium.

Total
2
Shares